Paraíba tem 28 casos suspeitos de Coronavírus; Saúde do estado lança boletim epidemiológico

Paraíba tem 28 casos suspeitos de Coronavírus; Saúde do estado lança boletim epidemiológico

A Paraíba tem 28 casos suspeitos de Covid-19 em investigação, de acordo com Informe Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde. No total, 39 casos suspeitos já foram notificados, dos quais 11 foram descartados.

Entre os casos investigados, 16 são de João Pessoa, nove de Campina Grande, um de Cuité, um de Cabedelo e um de Bananeiras.

O boletim define três tipos de casos suspeitos de Covid-19. O primeiro diz respeito aos viajantes, pessoas que retornaram de viagem nos últimos 14 dias e apresentam febre e algum sintoma respiratório. A segunda possibilidade é a do paciente que teve contato próximo com algum caso suspeito ou confirmado e apresente febre ou algum sintoma respiratório. A terceira hipótese é o contato domiciliar, que é quando a pessoa reside ou trabalha com alguém que tem suspeita ou confirmação da doença e apresenta febre ou algum sintoma respiratório ou mesmo algum sintoma inespecífico como fadiga, dor de cabeça, náusea, etc.

Contato próximo de casos suspeitos ou confirmados de Covid-19:

 ○ Uma pessoa que teve contato físico direto (por exemplo, apertando as mãos);
○ Uma pessoa que tenha contato direto desprotegido com secreções infecciosas (por exemplo, gotículas de tosse, contato sem proteção com tecido ou lenços de papel usados e que contenham secreções);
 ○ Uma pessoa que teve contato frente a frente por 15 minutos ou mais e a uma distância inferior a 2 metros;
○ Uma pessoa que esteve em um ambiente fechado (por exemplo, sala de aula, sala de reunião, sala de espera do hospital etc.) por 15 minutos ou mais e a uma distância inferior a 2 metros;
 ○ Um profissional de saúde ou outra pessoa que cuide diretamente de um caso de COVID-19 ou trabalhadores de laboratório que manipulam amostras de um caso de COVID-19 sem Equipamento de Proteção Individual (EPI) recomendado, ou com uma possível violação do EPI;
 ○ Um passageiro de uma aeronave sentado no raio de dois assentos de distância (em qualquer direção) de um caso confirmado de COVID-19; seus acompanhantes ou cuidadores e os tripulantes que trabalharam na seção da aeronave em que o caso estava sentado.

Fonte: Com informações do Click PB

Comentários

Outras Notícias