Cidades dos EUA têm protestos apesar de toques de recolher

 Cidades dos EUA têm protestos apesar de toques de recolher

Os manifestantes não deixaram as ruas nos Estados Unidos na noite desta segunda-feira (1º) apesar do toque de recolher decretado em ao menos 40 cidades norte-americanas. Os protestos são uma resposta à morte de George Floyd, um homem negro desarmado por um policial branco em Minneapolis, no Estado de Minnesota, e à violência policial em relação às pessoas negras.

Em Nova York, o toque de recolher entrou em vigor a partir das 23h (horário local – 22h em Brasília). Mas, segundo a CNN, os manifestantes não saíram das ruas e, ao cair da noite, os protestos, que começaram pacíficos, tomaram proporções violentas, com saques, incêndios e depredação de lojas, sobretudo em Manhattan, Bronx, SoHo e, em menor grau, em Midtown.

O senador Zellnor Myrie disse à CNN que foi algemado e preso e que policiais usaram gás de pimenta contra ele durante o protesto pacífico do qual ele participava no Brooklyn.

“Eu estava obedecendo às ordens, tentando proteger alguns dos manifestantes atrás de mim. Sendo complacente. Fui atingido nas costas por bicicletas empunhadas pelos policiais. Eu fui empurrado, borrifado com gás de pimenta e depois algemado. Simplesmente porque eu estava lá para protestar ", disse ele à CNN. Além do senador, houve outros registros de prisões na cidade.

O prefeito Bill Di Blasio reconheceu que o toque de recolher da noite desta segunda-feira não conseguiu reprimir a violência e anunciou que a partir desta terça-feira (2) a determinação começa a vigorar três horas mais cedo, a partir das 20h (horário local).

Em Buffalo, também no Estado de Nova York, dois policiais ficaram feridos depois de ter sido atropelados por uma SUV que avançou contra os manifestantes. O motorista e um passageiro foram presos. Os policiais foram socorridos e passam bem, segundo o jornal The New York Times.

 

Comentários

Outras Notícias