Anticoagulante reduz infecção de células pelo coronavírus em 70%

Anticoagulante reduz infecção de células pelo coronavírus em 70%

Um estudo feito por pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e colaboradores europeus revela um possível novo mecanismo de ação do medicamento heparina no tratamento de Covid-19

A substância parece ser capaz de dificultar a entrada do novo coronavírus nas células, além de combater distúrbios de coagulação que podem afetar vasos do pulmão e prejudicar a oxigenação. 

Em testes de laboratório, a heparina reduziu em 70% a invasão das células pelo SARS-CoV-2; os testes foram feitos em linhagem celular proveniente do rim do macaco-verde africano. A pesquisa, que contou com participação de cientistas da Inglaterra e da Itália, foi publicado na plataforma bioRxiv.

Helena Nader, professora da Unifesp e coordenadora do projeto pelo Brasil, afirmou: "Existiam indícios de que a heparina, que é um fármaco que desempenha várias funções farmacológicas, também tinha capacidade de prevenir infecções virais, incluindo por coronavírus, mas as evidências não eram muito robustas. Conseguimos comprovar essa propriedade do medicamento em ensaios in vitro".

Comentários

Outras Notícias